domingo, 28 de agosto de 2011


The pain passes with time

Igualmente ao que acontece com todas as pessoas, eu já senti tanta dor que parecia que os golpes me estavam a quebrar toda por dentro. Não sabia se era possível juntar todos os pedaços, por onde começar, nem se o cansaço me permitiria movimentos na direcção de qualquer tentativa. Quando o susto é grande e dói assim, nós precisa-mos de algum tempo para recuperar o fôlego outra vez. Para voltar a caminhar sem contrair tanto os ombros e a vida. Um espaço onde nós quase nos reinventa-mos.
Um dia alguém me disse: o amor é paciente. É, talvez seja mesmo, é o mais provável, mas eu é que não o sou! Eu, ou expludo ou esfrio, mordo para depois assoprar, caio de amor ou fujo às pressas. Porque o tempo é curto, é agora e amanhã, e a cada dia perdido sinto como se fosse menos um na memória, e mais um na pilha desses tantos, desinteressantes ..

WorldHallucinate



13 comentários:

  1. eu posso não saber nada, mas que escreves bem bem bem, eu sei *

    ResponderEliminar
  2. nem sempre temos essa paciencia, mas quando temos e sabemos esperar, pode valer a pena *

    ResponderEliminar
  3. O texto está bem giro :)
    podes dizer-me o nome da música ? *.*

    ResponderEliminar
  4. Concordo com o que foi dito :) é preciso tempo para sarar as feridas e até para deixar o próprio tempo amenizar a dor. E embora haja essa vontade agir e de não esperar, há que saber reconhecer que cada coisa leva o seu tempo e deixar que ela tome o seu lugar sem pressas. "Tudo a seu tempo...", é o que se costuma dizer e quando tiver de ser, será. Beijinhos

    ResponderEliminar
  5. Adorei o texto tudo tem o seu tempo.

    beijos

    ResponderEliminar
  6. Tal como disseste: a dor passa com o tempo. E às vezes pensamos que vai demorar muito e acaba por demorar muito menos do que aquilo que imagináramos.
    Vou seguir *

    ResponderEliminar
  7. adorei. e subscrevo completamente. vou seguir :)*

    ResponderEliminar

O que achas do meu blog ?